Medicina cadavérica: medicamentos bizarros

O rei Charles II deu endosso real para as Gotas do Rei, feitas de pó de crânios humanos. Foto: Reprodução/DailyMail

Uma lista de estranhas invenções canibais revela os tratamentos feitos com órgãos, pomadas de gordura humana e restos de terra que ficavam sobre corpos embalsamados.
Apesar de nada atraente, muitos médicos exerceram esse tipo de medicina ao longo dos séculos, visando tratar uma série de doenças e promover a boa saúde. Ela foi utilizada entre os séculos 12 e 17 para curar desde dores de cabeça até úlceras de estômago.

 

Veja alguns:

 Pó da Múmia: Usado entre os séculos 12 e 17 para curar tudo, desde dores de cabeça até úlceras estomacais. Ele representava os restos mortais dos antigos reis do Egito, mas o mais provável é que fossem ossos em pó de plebeus escavados a partir do cemitério mais próximo.


Homem do Mel: Receita chinesa de 1597. Um voluntário foi morto após ter sido alimentado somente com mel durante um mês. Ele foi enterrado em um caixão cheio de mel. Após 100 anos, ele deveria ser desenterrado para que as pessoas se alimentassem de sua carne doce. Servia para curar ossos quebrados.

Gotas do Rei: Popularizado por Charles II, o líquido foi feito a partir do crânio humano. Era destinado a promover vigor.

Fígado e Sangue de Gladiadores: Criado pelos romanos visava curar a epilepsia.

Espírito de Cérebros Humanos:  Durante o século 17, alguns médicos britânicos prescreviam a polpa do cérebro destilada de um homem violentamente morto para curar todos os males cranianos.

Suor de um Moribundo: Também em 1800, o suor do doente terminal era dedicado para curar hemorroidas.

Pomada de Gordura Humana: Ajudava a aliviar dor nas articulações e musculares. A gordura dos mortos era colhida e misturada com cerveja. Essa prática pode ter sido utilizada na Holanda até 1920.

Cápsula Tai Bao: Recentemente, os restos mortais de bebês em pó foram encontrados dentro de cápsulas na Coréia do Sul. Elas têm o propósito de ser uma cura para a asma.

Comentários

Postagens mais visitadas